Notícia Retornar para página inteira

[12/07/2019] MP promove evento em Cacoal para discutir implantação de Fórum de Combate aos impactos de Agrotóxicos e Transgênicos

Imagem Acessível: auditório da Faculdade de Educação e Cultura de Cacoal (Unesc) e ouvintes
Imagem Acessível: auditório da Faculdade de Educação e Cultura de Cacoal (Unesc) e ouvintes

Por iniciativa do Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cacoal (Curadoria do Meio Ambiente), foi realizado no início deste mês de julho, um ciclo de palestras para discutir a implantação do Fórum Estadual de combate aos Impactos de Agrotóxicos e Transgênicos, no auditório da Faculdade de Educação e Cultura de Cacoal (Unesc).

 

Sob a coordenação da Promotora de Justiça Valéria Giumelli Canestrini, no Fórum foram proferidas palestras sobre a realidade de agrotóxicos no Estado de Rondônia, quanto ao uso, transporte e consumo, pelo Coordenador do Programa de Agrotóxicos da Idaron, Sirley Ávila Queiroz; sobre o Programa para Verificação de Agrotóxicos em Alimentos (PARA), pela nutricionista Lúcia Maria Marciano Freitas, Gerente do Núcleo de Alimentos da Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa) e sobre "Agrotóxicos na saúde psicológica dos agricultores familiares da região central de Rondônia", tese de doutorado da psicóloga Rosani Terezinha Stachiw.

 

O evento contou ainda com a participação de Cleber Folgado, Coordenador da Comissão de Regulação do Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos, que proferiu a palestra "Agrotóxicos e Impactos Socioambientais” e expôs o livro “Agrotóxicos e Agroecologia, Enfrentamentos Científicos, Jurídicos, Políticos e Socioambientais”.

 

A implantação do Fórum Estadual de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos tem por objetivo propiciar a formulação de propostas, a discussão e a fiscalização de políticas públicas, assim como de questões relacionadas aos impactos negativos dos agrotóxicos, produtos afins e transgênicos na saúde do trabalhador, do consumidor, da população e do ambiente. Rondônia é um dos poucos Estados que não tem fórum implantado.

 

Durante o evento, foram realizadas oficinas em grupos para análise e estudo de regimentos dos fóruns estaduais já existentes, no intuito de elaborar regimento interno a ser considerado para o Fórum Rondoniense que se pretende implantar, além de proposições para serem efetivadas relacionadas à realidade dos agrotóxicos no Estado de Rondônia.

 

Foi definida uma comissão de coordenação provisória do Fórum Rondoniense, composta pela 1ª Promotoria de Justiça de Cacoal, Idaron, Fetagro e Saae, aguardando-se a próxima reunião para aprovação do Regimento Interno, prevista para 26 de setembro de 2019.


Fonte: Ascom MPRO